quinta-feira, 25 de junho de 2009

Medo

Medo que me sentencia,
Que me esconde atrás das pernas da tia
Com medo da mulher estranha.
Medo que me refugia,
Que me esconde debaixo dos cobertores
Com medo de olhar debaixo da cama.
Medo que me cala os lábios,
Que me esconde na multidão
Com medo de falar alto.
Medo do público, do mundo, dos outros.
Encolho-me embaixo da mesa
Encolho-me e ela me acolhe.

4 comentários:

DIELSON KLEBER PICKLER disse...

Que medo de vc pessoa!

Como existem coisas escondidas (ou que de cegos, não vemos) nas pessoas.

Coisas que surpreendem. Que achamos graça, por nos pegar desprevinidos...

Acho que Letras é um algo a se pensar... uma alternativa à Adm.

Bjos

Muitas palavras disse...

o nosso maior medo esta na mesma medida da nossa maior CORAGEM. pensa nisso!

Thico Lima disse...

Lindo.

Daniela Filipini disse...

Não tenha medo :)
Lindo!